Personalidades do transporte coletivo

terça-feira, 23 de março de 2010

coletivo-1

Ah, o maravilhoso mundo do transporte público! Não há nada que se compare a revigorante sensação de acordar logo pelas primeiras horas da manhã, prestes a encarar um corriqueiro dia de trabalho, para então seguir até o ponto de ônibus mais próximo de seu lar, provavelmente munido de sua leitura diária predileta, ou mesmo na intenção de apenas apreciar a bela paisagem de sua cidade, e aguardar o seu rotineiro veículo de transporte coletivo urbano chegar para tranquilamente conduzi-lo até o seu destino.

Sim, amigos leitores, uma verdadeira terapia. Infalível em demolir impiedosamente a toda e qualquer forma de bom senso ou sanidade que possa restar nas mentes dos que dependem dessa opção infernal para se locomover. Afinal, trata-se de um meio de transporte caro, insuficiente e extremamente eficaz em despertar os sentimentos mais primitivos tanto entre simples passageiros quanto no pessoal que humildemente trabalha para as empresas prestadoras de serviço na área.

Grande parte de todo esse constrangimento não é centrado apenas nas condições do sistema em si. A coisa vai muito além disso. Independente dos habituais transtornos, ainda existem as personalidades que insistem em participar ativamente da vida dos pobres usuários das linhas de ônibus.

E para exorcizar toda a negatividade inerte, guardada pelo convívio com tais pragas, tentarei relembrar e dar o devido reconhecimento a algumas dessas já lendárias figuras.

O detentor de apetrechos da mais alta tecnologia

Típico cidadão que sai de sua casa apenas para demonstrar publicamente todas as maravilhosas funções provenientes do seu novíssimo aparelho Xing ling. Seja o mesmo um telefone celular “compre da china” ou os indefectíveis MP3 players sem fones de ouvido, tradicionalmente chamados de MP5, 8, 10, 20, 1000 e por aí vai. A alegria desse meliante é proporcionar entretenimento aos passageiros através das mais diversas formas de expressão musical, que variam do tradicional funk carioca até as interessantíssimas pregações religiosas ortodoxas, das quais ele acredita que todos ficarão gratos e satisfeitos em acompanhar. Um grande serviço social, sem dúvida.

O desprovido das faculdades auditivas

Uma variação do caso anterior. A diferença é que este pobre ser aparenta sofrer com dificuldades na fala e na audição, pois além de escolher os tons mais burlescos como toque de chamada em seu MP qualquer coisa, ainda o ajusta para que seja executado no limite máximo de volume dos já frágeis transmissores de som. Não contente em apenas assustar aos presentes com tamanha balbúrdia sonora, este curioso espécime também nutre o prazer de atender as ligações telefônicas como se estivesse apresentando a uma palestra para quinhentas pessoas, bradando toda a sorte de frases geniosas como: “Oi Zé. OI ZÉ! JÁ TÔ CHEGANDO, PORRA!”. Um sujeito bastante admirado também em salas de cinema e afins.

Os donos de histórias de vida cinematográficas

Mais um exemplo que anda lado a lado com os já citados. A diferença é que estes não se utilizam necessariamente de adventos dos mais modernos para propagar as suas nulidades em forma de palavras, porém sempre atacam em duplas ou grupos. A intenção desses infelizes é simplesmente enfatizar o quão interessantes são os seus atos cotidianos, como estudar para uma prova, ou querer saltar de bungee jump, ou frequentar o clubinho da esquina de casa, ou comprar batatas no mercado, brigar com parceiros, abrir um jornal, chutar o cachorro, reclamar de impostos e tudo mais que possa parecer interessante aos ouvidos dos demais presentes e ao mesmo tempo completamente diferente do que os mesmos costumam fazer diariamente. E claro, com as expressões sendo relatadas em um tom de voz digno de fazer inveja aos mais escandalosos vocalistas do heavy metal melódico.

211024

O prova viva da física newtoniana

Este é mais comum do que se pode imaginar. Trata-se simplesmente de uma pessoa, normalmente dona de um avantajado tipo físico, que resolve montar guarda em lugares estratégicos nos veículos de transporte coletivo. Leiam-se entradas, saídas e a catraca próxima ao cobrador. E de preferência se posicionam com os braços bem abertos ou portando artefatos dos mais diversos, tais como gigantescas mochilas de hippie. O supracitado agente do caos costumeiramente não julga necessária a existência de tais entradas ou saídas, ainda que o ônibus não se encontre superlotado, e desafia a qualquer um disposto a adentrar o seu território permanecendo inerte quando alguém precisa executar uma tarefa simples, como descer do veículo.

A mamãe boladona

Essa simpática senhora, sempre com um rebento a tiracolo ou caminhando ao redor, costuma enfurecer-se agressivamente com as suas crias quando as mesmas dão sinais de não estarem muito contentes em deparar-se com tal ambiente claustrofóbico, atitude usualmente demonstrada através do mais copioso choro infantil. Nada fora do normal ou aceitável, diga-se. Ainda assim a mesma se põe a tentar disciplinar aos pequenos utilizando-se dos métodos mais medievais possíveis, que vão de gritos histéricos até tentativas de chantagem e humilhação. E tudo para o deleite dos aficionados passageiros, que com certeza sentem um profundo interesse em desenvolver a sua capacidade em relação a como cuidar de criancinhas com a nossa infalível figura. Normalmente ela não paga a passagem.

O motorista Grand Theft Auto

Camarada bacana que costuma pensar que não pegou um veículo pesado e cheio de pessoas para ir trabalhar, mas sim que roubou  um ônibus na rodoviária no melhor estilo “Um Dia de Fúria” e desse modo se vê no direito de sair por ai desrespeitando a maioria das leis de trânsito existentes, seja em suas ultrapassagens imprudentes e exageradas, seja por estacionar em lugares absurdos, deixar pontos de parada para trás ou mesmo pelo bom e velho excesso de velocidade. São adorados principalmente pelos representantes da terceira idade.

O Terrível Tarado Pederasta

Tipo mais vil na escala das personalidades do transporte coletivo, este projeto de ser humano sente prazer em molestar sexualmente as incautas vítimas do veículo em questão ao fazer uso do ato de acercar-se da pessoa mais próxima com intenções torpes, como se estivesse em uma tentativa comum de atravessar a um ônibus lotado. Em português claro, o filho da puta quer mesmo é encoxar a mulherada ao redor e na falta de uma cocota, se aproveita de qualquer um que estiver de bobeira no local. É muito comum que tal verme seja expulso violentamente.

coletivo-3

E estes são só alguns exemplos. Garanto que os digníssimos leitores ainda conhecem diversos outros. Eu mesmo passei um bom tempo por este pesadelo e espero sinceramente que todos possam um dia se livrar das garras desses malfeitores.

12 comentários :

Ariane Aron disse...

Ficou bom o post Edu, é por essas outras que prefiro ir a pé do que de onibus... ¬¬'

Kaps disse...

MAzáaa. Ainda bem que não passo por isso(h) Não ando de ônibus(H).
Mas às vezes uso o trem. Acredite, nada pior do que pegar o trem das 18hrs com aqueles tios velhos fedendo a cc ¬¬

Tio Gard disse...

Hahahiuehiuea isso me lembra do imbecil ouvindo noticiário no seu celular bling bling semana passada no busão.

Minha vontade era de dar um alex full na cara do mancebo. Revoltante.

Ana Letícia disse...

Pessoas sem noção empacadores de saída... seeempre tem. Ainda mais pq eu vou para o terminal do ônibus, ou seja, as pessoas tentam entrar enquanto você tenta sair do ônibus... u.ú
São umas pragas. E são diversos os tipos... eu não saberia listar todos. ;P
Mas looogo eu tiro minha carteira de mot. Ah se tiro!
;*

Marcel disse...

Não sei sei quanto a vocês, mas eu já me deparei com diversas pessoas da categoria "Evangelizador". Uma pessoa dessa categoria é aquela que fica do seu lado falando sobre a religião dela e fica tentando de converter a todo custo.

Já ouvi de um cabra que ele sabia até expulsar demônios xD

Edu Aurrai disse...

Já cara, quando eu morava em São Bernardo tinha muitos desses. Sabe um também, tem aquele povo que dorme e fica tipo joão bobo, pra lá e pra cá. Aí cai em cima dos outros, é terrível.

Rafael Oliveira disse...

Muito bom o post, mas você tá esquecendo do típico amigo ou amiga do motorista! O cidadão que mantém-se ao longo de todo o trajeto conversando com o motorista garantindo que sua viagem dure ainda mais que o já insuportável tempo habitual.

Anônimo disse...

Oi Du, adorei o post sobre as personalidades do transporte coletivo, é exatamente como vc descreveu, odeiooo andar de ônibus lotado e ainda pagamos caro por issoo...rsrsrs
Ahhhhh...tem aquela criatura, que logo cedo vem com a marmita no ônibus obrigando a todos a sentirem aquele cheiro de comida...affffff
Beijooo!
Leka

Naylinha ;) disse...

óóóóh shit.. só de pensar que amanhã é segunda... e tenho que enfrentar tudo isso de novo... me dá até uma tristeza! rs
sem emncionar, nosso queridos amigos que não usam antitranspirante e insistem em ficar com os braços ergidos.. ecáá...
preciso logo de um carro! =s

Day Procurada disse...

é... fato 1: qndo alguem liga as musicas no celular ... kct... terriveeeellll... perto dele o som é uma coisa... longe é completamente ruido total e o cara se acha.... ALGUEM DA UM FONE P ELE pelo amor...
fato 2: cara, não tente ler o que seu vizinho ta lendo... ele pode te perguntar se pode mudar de pagina!! ausdhauhduahsda....
valeu Du! ótimo post...

Rodrigo disse...

Ri muito!

Seu post poderia virar fácil um episódio do programa "Cilada"!

Luciano disse...

Seria cômico se não fosse trágico..kkkk Já vi todos estes tipos e confesso que várias vezes quando viajo, ando com uma mochila de armação esbofeteando os passageiros..Tomara que nenhum agredido me reconheça..Muito bom o post e a descrição das figurinhas. Embora tenha colocado o link nos comentários, vou fazer mais uma propaganda lá. Abs.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Copyright © 2016. Ninho da Mente