Por Trás da Máscara de Jason Voorhees

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

jason-as-eli

Ao longo de seus trinta anos, a série Sexta-Feira 13 contou com diversos dublês e atores que deram vida (ou morte) ao personagem Jason Voorhees. Essas pessoas foram responsáveis pela criação de todos os trejeitos do assassino mascarado. Mesmo quando ele ainda não ostentava tal título. Vamos conhecê-los no último artigo do especial Sexta-Feira 13 aqui do Ninho da Mente.

Ari Lehman

ari Jason fez a sua primeira aparição ainda de forma discreta na sequência final do filme Sexta-Feira 13. Ele é mostrado em flashback afogando-se no Crystal Lake quando criança e também saltando do lago para agarrar a sobrevivente Alice. Nessa ocasião, ele foi interpretado por Ari Lehman, que já havia trabalhado com o diretor Sean S. Cunningham no seu filme Manny’s Orphans, lançado em 1978. A intenção de Lehman era fazer um teste para o papel do personagem Jack, mas logo que chegou já foi indicado a interpretar Jason por Cunningham, que olhou para ele dizendo: “Você tem o tamanho certo, o papel é seu”. Ari tinha quinze anos na época e passava cerca de quatro horas por dia apenas para receber a pesada maquiagem do mestre Tom Savini, que o transformaria no primeiro Jason da série. Abandonou o cinema após as filmagens de Sexta-Feira 13, tendo retornado apenas no ano de 2006 integrando o elenco do filme ThanXgiving. Nesse meio tempo, Lehman se dedicou a carreira de músico, tocando pelos Estados Unidos, Europa e até no continente africano. Um dos grupos formados por Lehman tem inspiração no personagem Jason Voorhees.

Warrington Gillette e Steve Dash

Warrington

Phil Scuderi, um dos produtores do filme original, foi quem teve a ideia de trazer Jason de volta para a sequência de Sexta-Feira 13. O diretor Steve Miner decidiu então fingir que a personagem Alice não havia visto o “verdadeiro Jason” em seu sonho, e que Jason teria sobrevivido ao afogamento e crescido na floresta. O papel do Jason Adulto foi oferecido a Warrington Gillette, nascido em Maryland, EUA, no dia 7 de outubro de 1960. Meio relutante em dizer sim no inicio, Gillette aceitou o papel por achar que ideia de andar por ai matando pessoas e oferecendo os assassinatos para a cabeça da mãe morta seria divertida. As coisas ficaram um tanto ruins quando a equipe que realizava a produção percebeu que Gillette não possuía a total capacidade de executar as acrobacias necessárias para interpretar o personagem. Foi aí que o coordenador de dublês Cliff Cudney trouxe Steve Dash para dar conta do serviço. Resultado? O pobre Warrington acabou encarnando Jason apenas na sequência inicial e no final do filme quando aparece maquiado como o “Jason das cavernas”, saltando pela janela para agarrar a protagonista Ginny. Hoje Gillette é produtor de televisão e empresário na internet.

dash

Coube a Steve Dash – que era conhecido por seu nome de batismo Steve Daskawisz – a tarefa de encarar a maioria das cenas de Jason em Sexta-Feira 13 parte 2. É ele quem está na tela quando vemos o famoso visual do assassino usando um saco para cobrir o rosto com um furo do lado esquerdo para enxergar. No livro Crystal Lake Memories, Dash, que atuava desde 1977, declarou que havia ficado muito feliz em ter sido convidado para o papel principal de um filme. Gostou mais ainda quando o diretor Steve Miner o elogiou dizendo que ele era perfeito para tal. O balde de água fria veio quando ele descobriu que passaria todo o tempo da película com um saco por sobre a cabeça. Pior, ele não seria creditado e receberia o pagamento apenas como dublê de Jason Voorhees, por exigência do agente de Warrington Gillette. E olha que o nosso amigo Dash deu duro nesse filme. O saco que ele usava teve de ser preso com fita adesiva ao seu rosto para não ficar balançando, o que causou-lhe vários ferimentos. Também teve que levar alguns pontos na mão, pois tomou uma facada de verdade na cena em que ele bate a sua picareta contra o facão da atriz Amy Steel. Hoje ele ainda participa de convenções e mantém um site, o www.therealjason2.com, cujo nome fala por si só.

Richard Brooker

broker Steve Miner foi novamente indicado para ser o diretor da segunda sequência de Sexta-Feira 13. Para o papel de Jason, ele procurava por alguém que parecesse grande e forte, além de mais atlético e poderoso. O escolhido foi o dublê e ex-trapezista Richard Brooker. Recém chegado aos Estados Unidos, o inglês Brooker acreditava que interpretar um assassino psicótico seria o melhor caminho para entrar no ramo do cinema. Dentre todos os atores que já estiveram na pele de Jason, Brooker pode se orgulhar por ter sido a primeira pessoa a vestir a icônica máscara de hockey, que se tornaria marca registrada do personagem. Outra característica deixada pelo ator foi a visível agilidade que ele deu ao Jason, que corria e pulava. Essa peculiaridade seria deixada de lado nos filmes posteriores, principalmente após Sexta-Feira 13 parte 6: Jason Vive. Brooker costuma declarar em entrevistas que as cenas mais difíceis de serem gravadas eram exatamente as mortes, já que elas exigiam vários takes seguidos devido à sequência ter sido filmada em 3D. Após o filme ele manteve carreira no mercado do entretenimento como ator e produtor.

Ted White

white O badalado quarto capítulo da cinessérie Sexta-Feira 13 ganhou status por propagar uma promessa que jamais cumpriu: ser o desfecho das aventuras de Jason Voorhees na tela grande. Joseph Zito, diretor contratado para a empreitada, quis colocar a sua própria visão sobre o personagem e solicitou um dublê realmente imponente e talentoso para o papel. Sobrou para o veterano Ted White, que já havia feito trabalhos substituindo em cena nomes como John Wayne e Clark Gable. De início, White não se sentiu muito a vontade em interpretar Jason, pois odiava tudo o que tivesse relação com a série Sexta-Feira 13. “Eu fiz pelo dinheiro, era simplesmente um mercenário.” - admitiria o ator. Porém, uma vez dentro do espírito do filme, White tornou-se tão apaixonado que acabou desenvolvendo uma maneira própria para dar uma certa profundidade ao personagem. Tanto que até hoje ele é um dos interpretes mais elogiados de Jason Voorhees. Uma das curiosidades envolvendo White e o quarto capitulo da série foi a instrução que lhe foi dada para não manter contato com nenhum dos atores do elenco, já que Joseph Zito acreditava que isto geraria uma tensão maior quando os mesmos tivessem que contracenar com Ted.

Tom Morga e Dick Wieand

wieand Assim como em Sexta-Feira 13 parte 2, houve uma certa confusão sobre quem teria interpretado o papel de Jason no filme Sexta-Feira 13 parte 5: Um Novo Começo, já que Jason não é o vilão principal da sequência. A oportunidade de retornar à franquia foi oferecida para Ted White, porém o ator recusou. Sendo assim, Dick Wieand foi escalado e ganhou crédito como Roy Burns, o assassino do quinto capítulo. Na história, Roy Burns era um paramédico que enlouqueceu após recolher o corpo do filho assassinado por um dos pacientes da clínica onde o personagem Tommy Jarvis procurou tratamento. O filme se passa alguns anos após os eventos de Sexta-Feira 13 parte 4: O Capítulo Final. Roy tomaria a lenda de Jason como estopim para sua vingança, tendo assumido a identidade do psicopata após sua morte. Mesmo sendo creditado como o assassino da sequência, Dick Wieand, a exemplo do ator Warrington Gillette, só interpretou o psicopata no take final, onde ele já aparece morto e desmascarado. O trabalho de dar vida ao Jason genérico desta quinta parte caiu sobre os ombros de outra pessoa.

 

morga Tom Morga vem trabalhando em todos os ramos no negócio de dublês há mais de vinte e cinco anos. Já foi dublê e coordenador de dublês em programas de televisão, videoclipes e performances ao vivo. E também foi o homem por detrás das máscaras em Sexta-Feira 13 parte 5. Eu digo das máscaras, pois ele não só interpretou o pseudo-Jason Roy Burns na ativa, como também fez o papel do assassino sobrenatural em pessoa durante as alucinações do personagem Tommy Jarvis. E ele é outro felizardo com uma particularidade especial, visto que também teve uma participação não creditada como Michael Myers em algumas partes do filme Halloween 4. Falando nisso, vale citar que o próprio Morga foi substituído em cenas rápidas na parte 5 pelo dublê John Hock, sendo o sonho de Tommy no início a principal delas. É também John Hock quem aparece caindo do celeiro no final do filme. Porém, como dito, são cenas rápidas, então pode-se considerar que 90% das aparições de Jason/Roy neste filme foram feitas por Tom Morga. Se você for parar para analisar, foi através de Tom Morga que nós tivemos o primeiro resquício daquele Jason lento e frio, que se tornaria presença marcante no decorrer da série daqui então.

C.J. Graham

graham Quando ainda apenas comandava uma casa noturna em uma cidadezinha norte-americana, C.J. Graham resolveu candidatar-se à entrevista para o papel de Jason em Sexta-Feira 13 parte 6: Jason Vive. Não foi escolhido por nunca ter tido nenhuma experiência como dublê. Don Bradley, hoje famoso coordenador de dublês e diretor de segunda unidade, foi o homem contratado. Após o início das filmagens, os executivos da Paramount acharam que Bradley não tinha o perfil certo para o personagem e acabaram optando por Graham. A única participação gravada por Don Bradley que ficou presente na montagem final foi a sequência das pessoas praticando paintball. Graham foi primeiro ator a interpretar um Jason realmente morto e com força ampliada. Foi a partir desta parte 6 que o assassino sobrenatural pôde ser reconhecido como tal. Ele arranca um coração com um soco, afunda a lataria de um carro com o rosto de uma vítima, leva tiros e caminha por debaixo d’água sem maiores problemas. Graham declararia em entrevista: “O papel de Jason basicamente caiu no meu colo. E eu colocaria a máscara de volta imediatamente se me pedissem para fazê-lo”. C.J. Graham hoje é gerente de um cassino em Las Vegas.

Kane Hodder

hodder Kane Warren Hodder é o intérprete de Jason mais famoso e querido pelos fãs até hoje. Também foi quem mais apareceu nos filmes da série, tendo figurado em quatro deles seguidos. Quer dizer, três e meio se você contar aquela porcaria do Jason Vai Para o Inferno. Nascido em 8 de Abril de 1955, Kane conseguiu o papel de Jason em Sexta-Feira 13 parte 7 por já ter trabalhado com o diretor John Carl Buechler no filme Prison. Foi Hodder quem acabou dando a Jason uma personalidade toda diferenciada. A sua respiração, a forma como anda devagar movendo-se rapidamente e também a sua agressividade acabaram ficando marcadas no personagem. Particularmente, mesmo tendo uma admiração maior pelos quatro primeiros filmes da série, eu acho que o Jason de Hodder na parte 7 é o mais interessante e ameaçador, tanto no visual quanto na atuação. Kane Hodder também pode ser considerado como a pessoa mais bem sucedida que já vestiu a máscara de Jason, tendo atuado como dublê e ator em dezenas de filmes. Ganhou uma nova leva de admiradores ao encarnar o vilão Victor Crowley no ótimo Hatchet de 2006, que está prestes a ganhar uma continuação. Apesar da aparência truculenta, Hodder é sempre descrito como um sujeito extremamente amigável, que adora se encontrar com os fãs. Ele também faz questão de dedicar algum tempo para trabalhar em hospitais especializados em crianças vitimas de queimaduras, já que ele mesmo sofreu um acidente durante uma cena e acabou ficando com cicatrizes em diversas partes do corpo, principalmente nas mãos.

Ken Kirzinger

kirzinger Kane Hodder recebeu o roteiro de Freddy x Jason e marcou uma reunião com o diretor Ronny Yu e os executivos da New Line Cinema. Yu, que queria retratar Jason de forma mais lenta e menos agressiva, acabou dispensando Hodder para o protesto geral dos fãs de ambas as séries. Outra história que rola pelos bastidores é a de que o diretor Yu procurava por alguém que fosse bem mais alto do que Robert Englund – o Freddy Krueger - para interpretar Jason. Uma terceira hipótese conta que Ronny Yu achou que Kane Hodder não tinha os olhos expressivos, o que soa um tanto idiota se você for parar para pensar. O papel de Jason acabou ficando com Ken Kirzinger, um dublê canadense que já havia trabalhado em Sexta-Feira 13 parte 8: Jason Ataca em Nova York. Ele é o cozinheiro de restaurante que o Jason arremessa por cima do balcão em uma das cenas no final do filme. Ken é um amante do cinema desde criança e começou a atuar como dublê no longa Superman III. Desde então, já trabalhou em diversos filmes e programas de televisão, tanto como dublê quanto como coordenador. Não sei exatamente o que o diretor idealizou para o Jason neste filme, mas o fato é que a versão de Kirzinger é a mais, digamos, meiga do personagem até hoje.

Derek Mears

derek O grandalhão Derek Mears foi o escolhido para interpretar Jason no respeitoso remake de Sexta-Feira 13, lançado em 2009. Ele foi recomendado aos produtores da Platinum Dunes - Brad Fuller e Jason Form - pelo técnico em efeitos especiais Scott Stoddard, responsável por criar o design do novo Jason. Antes do remake, Mears atuou como um dos mutantes canibais no filme The Hills Have Eyes 2, continuação mal sucedida do remake de Quadrilha de Sádicos, que ficou conhecida no Brasil com o ridículo nome de O Retorno dos Malditos. Neste ano de 2010, Mears apareceu como um dos predadores no filme Predators, de Robert Rodriguez. Em 2011 ele estará no elenco do blockbuster Pirates of the Caribbean: On Stranger Tides, porém o seu papel ainda não foi divulgado. Derek Mears é até o presente momento a última pessoa a vestir a máscara de hockey de Jason Voorhees no cinema. Uma continuação do remake chegou a ser anunciada para o ano de 2013, mas o projeto se encontra parado atualmente. Mears seria novamente indicado ao papel de Jason na sequência. A exemplo de Kane Hodder, Derek Mears também costuma ser fotografado em poses agressivas e com cara de malvado, mas  em todas as entrevistas que ele concede, Mears demonstra ser um cara super simpático, sempre sorrindo e fazendo piadas.

Agradecimentos: Wikipedia e Friday the 13th: The Website

10 comentários :

Anderson D2 disse...

Parabens!

Eu sou Fã desta franquia Sexta Feira 13 e achei ótimo seu trabalho de retratar os atores que interpretaram Jason!!!

obs. vc nao mensionou filme Jason X (horrivel,que foge a sequencia de SF13) que se passa no futuro.

Vc esta de Parabens pelo blog e desde já virei seguidor!!

abçs

Edu Aurrai disse...

Opa, valeu a visita Anderson! Jason X é até divertido se você fizer como você falou, desvincula-lo do resto da cronologia. É bacana tb pq foi o ultimo filme com o Kane Hodder.

Abç

Marcel disse...

Cara, três observações:

1- O Ari Lehman é a cara do Serj Tankian.

2- O Kane Hodder tem muita pinta de lutador da WWE

3- O Derek Mears é o bicho mais feio do mundo.

xD

william disse...

a verdadeira face por trás da máscara e o da nossa sograaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

thales disse...

eu sou o fã número 1 do JASON VOORHEES.

K.K disse...

EU QUE SOU A FÃ NÚMERO 1 DO JASON VOORHEES ,E DO KANE, ELE É O MELHOR JASON . FOI BEM TOSCO NÃO USAREM ELE PARA FAZER O JASON VS FREDDY O JASON TEM QUE SER AGRESSIVO E NÃO TONTO, MAS TUDO BEM FICOU BOM.
UM BEIJU DE K.K (KATHY.KEROL (A KEROL É FÃ) )

Paulo disse...

pra mim, o personagem jason era MUITO mais interessante qdo era um ser humano normal, como nos primeiros filmes. Aquele jason monstro da parte 6 em diante é ridiculo, ficou totalmente avacalhada a serie e perdeu todo o suspense. E eu adoro o jason com o saco na cabeça da parte 2, prefiro do que com a mascara, é realmente assustador. Os tres primeiros filmes são igualmente ótimos, o quarto e o quinto são legais. O 6, 7 e 8 são apenas regulares. E tudo que veio depois eu nem considero sexta-feira 13.

mauricio^^ disse...

vééi parabens pelo blog gostei mt ^^

sabrina disse...

mais feio que voce nao ne?

Sabrina loca por jason disse...

eu amo o jason e todos seus filmes (principalmente freddy vs jason aquele era muito massa muito agresivo e nao parecia um monstro é legal muito engraçado eu acho né
kkk) muito loco no filme eu acho que vi a cueca do jason so di pensar ja da nojo!!!! masi eu ri muitaaaaaaaao!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Copyright © 2016. Ninho da Mente