Serial killers e o seu potencial para o cinema de horror nacional

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Hannibal-Lecter

No inicio do ano foi anunciado por alguns sites web afora que o cineasta José Mojica Marins – também conhecido como Zé do Caixão – pretende produzir um novo longa-metragem inspirado em uma lenda genuinamente brasileira que diz respeito a uma curiosa figura conhecida como o Corpo Seco. O “causo” teria se passado em 1900 na cidade de Pouso Alegre, Sul de Minas Gerais.

Segundo consta, existia um homem muito ruim que vivia com a família em um casarão e costumava maltratar a mãe e alguns animais. Passam-se os anos, ele teria ficado doente e definhado até a morte em um quarto nos fundos do imóvel. Depois de enterrado, o corpo - em pele e osso - sempre era descoberto pela terra e ficava exposto em cima da cova. Muitos moradores da cidade juram que a história é verdadeira.

Na época da divulgação da notícia, o pessoal do portal mineiro Uai bateu um papo com o diretor que declarou o seguinte:

“Fiquei sabendo da lenda durante uma viagem à cidade sul-mineira e a achei muito interessante, bem diferente de outras que ouvi pelo Brasil. Foi por isso que resolvi investir na lenda de Pouso Alegre. A ideia é contar a história do Corpo Seco, um ser do mal que se transformará em um estuprador e fará várias vítimas, mas que será derrotado pelo Zé do Caixão.”

zé-do-caixão

Você, leitor e amante do cinema fantástico, não acha isso uma ótima iniciativa? Muito se comenta a respeito da idealização de filmes com temas nacionais que não se apeguem apenas a criminalidade e a vida do sertão, mas esse turbilhão de boas idéias por alguma razão desconhecida não é bem aproveitado. Ênfase nos filmes de horror. Em vários países - EUA principalmente – há uma infinidade de produções inspiradas em lendas e pessoas que ficaram conhecidas por atos bárbaros e cruéis.

Daí você tira clássicos que vão de Psicose e O Massacre da Serra Elétrica até O Silencio dos Inocentes, todos eles baseados em alguma personalidade insana que infelizmente acabou gravando o seu nome na história da humanidade. Serial killers, ou assassinos em série se assim preferir. Imagine quantos personagens não poderiam ser criados tomando por base os malucos do gênero que apareceram aqui pelas nossas bandas?

E eu não me refiro a manifestações diretas ou biografias, pois nesse sentido já foram filmadas algumas produções envolvendo gente como o maníaco do parque, o bandido da luz vermelha e até o Chico picadinho. Bacana mesmo seria criar personagens fictícios baseados nesses doidos, algo como um Leatherface ou Hannibal Lecter 100% brasileiros. E inspiração é o que não falta. Esses dias mesmo eu estava lendo uma matéria lá do How Stuff Works que descrevia em detalhes a trajetória de nove matadores em série que andaram atacando por aqui.

Por exemplo, temos este simpático camarada que atendia pelo nome de José Ramos e ficou conhecido pela alcunha de “O linguiceiro da rua do Arvoredo”. Segundo a matéria do HSW, o cara era um sujeito elegante e viajado, que frequentava as casas de ópera da cidade e tinha um excelente gosto musical, fazendo sucesso entre a população com a venda de linguiças que ele e a mulher preparavam. O que ninguém sabia era que a saborosa iguaria era feita com a carne das vítimas do casal, que eram convidados para dormir com a patroa e acabavam no matadouro.

Fala se não daria para bolar um roteiro interessante em cima disto? Tipo um “Brazilian Hannibal From Hell”? E não é só. Convido o amigo leitor a acompanhar toda a matéria e tirar as suas próprias conclusões. Que tipo de personagem você criaria tendo como principio a história destes psicopatas? Descreva ai nos comentários. Seria interessante saber o que se passa em vossas malévolas mentes.

E aproveitando a deixa. A sequência de [REC] estreou hoje nos cinemas. Se você quiser ver – se é que já não viu – vai fundo amigo. Se você não quiser ver, mas quer saber do se trata, relembre comigo a análise do filme postada aqui no NDM há uns meses atrás.

5 comentários :

Amanda disse...

Cliquei no link do NDM esperando um bom post, como sempre, mas, confesso que dar de cara com o instigante Hannibal Lecter me fez devorar estas letras com muito mais gosto.
Serial killers sempre me interessaram muito, mas parecem personagens exclusivamente estrangeiros mesmo! Seria ótimo, seria lindo, ver esses maníacos brasileirinhos gerando personagens no cinema.
Boa iniciativa do Zé do Caixão (:

E porra, Chico Picadinho e Maníaco do Trianon em ação não dariam as cenas mais fodas do mundo?

Anônimo disse...

Seria ótimo e lindo fatiar essa menina em pedacinhos..Hummmm

Anônimo disse...

Também acho que o cinema nacional precisa de mais produções que não sejam sobre a violência nas favelas, a vida no setão ou essas comédias românticas estúpidas que são lançadas aos montes todos os anos. Até porque sou um grande fã de filmes de terror. But, Zé do Caixão não né gente, pera lá! Esse cara, e os filmes desse cara são uma piada! Talvez se ele fosse apenas diretor pode até ser que saisse alguma coisa boa daí, mais o cara insiste em ser o personagem principal dos seus filmes.

"...um ser do mal que se transformará em um estuprador e fará várias vítimas, mas que será derrotado pelo Zé do Caixão."

Tem coisa mais tosca que isso?!
É por essas e outras que o terror nacional não consegue destaque em lugar nenhum.

Fora isso, legal o post.

Anônimo disse...

"...um ser do mal que se transformará em um estuprador e fará várias vítimas, mas que será derrotado pelo Zé do Caixão."
KLJHDFJSHDFLKSJDFKLSDFJJ fdp, deu spoiller antes de lançar o filme

Unknown disse...

hehehehe Verdade

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Copyright © 2016. Ninho da Mente